Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Petista se reuniu com criminosos do PCC: não podemos perder a capacidade de indignação!



Por Rodrigo Constantino


Deputado estadual pelo PT, Luiz Moura. Fonte: Folha

Eis o que mais me assusta no Brasil de hoje: a banalização do crime, a sensação de que qualquer absurdo é “normal”, a negligência, o silêncio dos bons, o derrotismo e o fatalismo daqueles que já jogaram a toalha e acham que não há mais saída alguma, solução alguma para o país. Se perdermos a capacidade de indignação, por conta do excesso de notícias assustadoras, muitas ligadas ao poder, muitas ligadas ao PT, então estaremos, de fato, perdidos!

Tudo isso veio à mente quando li a revoltante, escabrosa, inacreditável notícia de que um deputado petista participou de uma reunião recentemente em que estavam presentes ao menos 13 (que número sugestivo!) integrantes da facção criminosa PCC (cujo elo com o PT não é suspeita nova). Diz a reportagem:

Entre eles estava um dos criminosos acusados de participar do furto do Banco Central, no Ceará, em 2005, quando foram levados R$ 164,8 milhões, além de um procurado da Justiça por roubos a bancos.

A reunião ocorreu na sede da Transcooper, zona leste na capital, em que, em tese, estariam sendo discutido temas de interesse dos cooperados.

Porém, segundo investigação da Polícia Civil, desses suspeitos de ligação com PCC, 11 não tinham ônibus ou qualquer ligação com a cooperativa que justificasse a presença deles ao local.

A operação policial na sede dessa cooperativa foi revelada na tarde de quarta-feira (15) durante entrevista do subsecretário de Comunicação do governo Alckmin, Márcio Aith, ao programa de José Luiz Datena, na TV Band.


É tudo impressionante demais. O que o PT tem a dizer? Onde está seu presidente, Rui Falcão, para demonstrar indignação em nome do partido? O que a presidente Dilma vai falar sobre o assunto? E o ex-presidente Lula? Deem uma olhada no perfil do homem:

O deputado foi eleito pelo PT em 2010 com mais de 100 mil votos. No início da década de 1990, ele foi preso e condenado por assalto a mão armada no Paraná.

Chegou a ficar preso por um ano e meio, mas conseguiu fugir. Ele ficou foragido por cerca de dez anos.

As condenações de Moura no Paraná foram reveladas pelo jornal “O Estado de S. Paulo” no ano passado.

Em 2006, o deputado conseguiu da Justiça sua reabilitação (quando suas dívidas com a lei passavam a ser consideradas quitadas) e, no mesmo ano, filiou-se ao PT.

De assaltante de supermercados, Moura conseguiu construir um patrimônio de R$ 5 milhões, segundo declarou à Justiça Eleitoral em 2010.

Entre os bens mais valiosos estavam uma empresa de ônibus e postos de gasolina.

Já em 2012, ao disputar à Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, Moura declarou ter bens em torno de R$ 1 milhão.


O PT cada vez mais sai das páginas de política e entra nas páginas de polícia.

É um partido que começou com presos políticos, e vai terminar com políticos presos.

Se, claro, os brasileiros não perderem a capacidade de indignação e de separar o certo do errado, algo que vem sendo minado há anos pelas esquerdas em geral e o próprio PT em particular.

Indignai-vos, brasileiros!


23/05/2014

1 comentários:

Alberto Figueiredo disse...

Ledo engano!
Isso poderia acontecer se no Brasil os que se dizem machos não desperdiçassem a macheza em teclados de computador.
PT começou com marginais travestidos de patriotas e terminará dono de uma colônia